top of page

O que o caso do submarino nos ensina sobre comunicação

O desaparecimento do submarino Titan, que fazia uma expedição aos destroços do Titanic, chocou o mundo e gerou uma grande mobilização para encontrar os cinco tripulantes. A operação de resgate envolveu vários países e recursos tecnológicos, mas também enfrentou dificuldades de comunicação.

A comunicação é essencial em qualquer situação, mas especialmente em momentos de crise. Neste artigo, vamos analisar alguns aspectos da comunicação relacionados ao caso do submarino e como eles podem nos ajudar a melhorar nossa forma de transmitir informações.

A importância da clareza

Uma das primeiras dificuldades enfrentadas pelas equipes de busca foi a falta de clareza sobre o que aconteceu com o submarino. A última mensagem enviada pelo capitão relatava uma falha nas baterias, mas não explicava a gravidade do problema nem a localização exata da embarcação. Isso dificultou a definição da área de busca e o planejamento das ações.

A lição que podemos tirar disso é que devemos ser claros ao comunicar qualquer informação, especialmente se ela for relevante para outras pessoas. Devemos evitar termos técnicos, ambíguos ou vagos, e usar frases curtas e objetivas. Também devemos fornecer todos os dados necessários para que o receptor possa entender o contexto e agir de acordo.

A importância da rapidez

Outra dificuldade enfrentada pelas equipes de busca foi a demora na divulgação das informações sobre o submarino. A empresa responsável pela expedição só comunicou o desaparecimento do submarino dois dias após o fato, o que gerou críticas e suspeitas. Além disso, as autoridades demoraram a confirmar a origem dos ruídos captados pela sonda canadense, que poderiam ser do submarino.

A lição que podemos tirar disso é que devemos ser rápidos ao comunicar qualquer informação, especialmente se ela for urgente ou sensível. Devemos evitar atrasos ou omissões que possam prejudicar a confiança ou a segurança das pessoas envolvidas. Também devemos priorizar os canais mais eficientes e acessíveis para transmitir as informações.

A importância da empatia

Uma das dificuldades mais dolorosas enfrentadas pelas equipes de busca foi a angústia das famílias dos tripulantes. A falta de notícias sobre o destino dos seus entes queridos causou uma grande aflição e ansiedade. A empresa responsável pela expedição foi acusada de falta de transparência e sensibilidade ao lidar com os familiares.

A lição que podemos tirar disso é que devemos ser empáticos ao comunicar qualquer informação, especialmente se ela for emocional ou humana. Devemos evitar frieza ou indiferença que possam ferir os sentimentos ou a dignidade das pessoas envolvidas. Também devemos demonstrar respeito e solidariedade, e oferecer apoio e conforto.

2 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page