top of page

Big Boy e a Discoteca que é Um Marco Cultural no Rio de Janeiro

Se você aprecia o rock no Brasil hoje, deve uma homenagem a um ícone que moldou a história musical nacional – Newton Alvarenga Duarte, ou, como o mundo o conhece, Big Boy. Essencialmente, o disc jockey que não apenas mudou a linguagem da rádio brasileira, mas também transformou comportamentos e apresentou ao público ouvir tudo o que era moderno em sua época.

Nascido no Rio de Janeiro em 1943, Duarte testemunhou a evolução musical das décadas de 1940 e 50, desde a febre do bolero até o surgimento da bossa nova. Sua paixão pela música e pela rádio o impulsionou a uma jornada extraordinária.

Desde muito jovem, Newton, um apaixonado por música, começou a comprar discos desenfreadamente. Seu interesse pela rádio o levou aos estúdios da revolucionária rádio Tamoio, onde figuras como Chacrinha ganharam popularidade.

O garoto possuído pelo espirito do rock’n roll logo se tornou uma força nos bastidores da rádio. Em meados dos anos 1960, a Rádio Mundial passou por uma transformação, convidando o jovem Newton para integrar sua equipe.

Rádio Mundial

Aqui começa a verdadeira revolução. Sob o nome de Big Boy, ele é dinâmico na rádio brasileira uma banda recém-chegada da Inglaterra chamada The Beatles, marcando o início do iê-iê-iê e da beatlemania no Brasil.

Big Boy não estava para brincadeira. Comandando dois programas diários, estendendo suas atividades em São Paulo e criando um especial de Beatles semanalmente, ele se tornou uma lenda viva. O Baile da Pesada, uma festa que apresentou as novidades da black music americana, tornou-se um marco, impulsionando nomes como Tim Maia e Cassiano.

O jargão radiofônico “Hellê, Crazy People” tornou-se a assinatura de Big Boy, e sua influência se estendeu além das ondas da rádio. Ele foi além, comandando programas de TV, especiais de rock progressivo na rádio Eldorado FM, e até amizade com Rick Wakeman.

Discografia à venda

O legado do Big Boy está à venda. Seus filhos buscam vender o acervo, preferencialmente para uma instituição que preserve essa rica herança musical. Uma oportunidade de garantir que a coleção continue a inspirar futuras gerações.

“Hellô! Crazy People” Uma homenagem a Big Boy, o revolucionário da música brasileira, continua ecoando através das décadas.

Ouça sobre BIG Boy no podcast:


(Fonte: O Globo, Coluna de Joaquim Ferreira dos Santos, 6 de novembro de 2023)

4 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page